ESTRATÉGIAS

Uma das características das Perturbações do Espetro do Autismo é a existência de alterações no domínio da linguagem/comunicação.

Ainda que cada criança apresente as suas próprias limitações, existem estratégias que podem ser implementadas em crianças com diagnóstico de PEA moderado/grave:

  • Mesmo que a criança não comunique verbalmente, a oralidade nunca deverá ser esquecida e todas as rotinas da criança deverão ser verbalizadas, incentivando-a a comunicar;
  • Identificar um meio de comunicação (ex. uso de imagens, de gestos, cadernos de comunicação) adequado para a criança de forma a esta poder comunicar com o mundo que a rodeia;
  • Estimular a capacidade de generalizar os conceitos (ex. um copo de plástico e um copo de vidro representam o mesmo conceito);
  • Estimular a capacidade para dar objetos/imagens a pedido com ou sem recurso a suporte visual (ex. num conjunto de seis itens pedir um especifico à criança);
  • Estimular a capacidade para cumprir ordens do dia-a-dia (ex. pendura o casaco) ou ordens com graus de complexidade distintos (ex. põe o cão a dormir / dá a maçã ao menino);
  • Estimular a nomeação de imagens/objetos com e sem recurso ao modelo do adulto;
  • Agrupar imagens de acordo com as suas características;
  • Juntar duas palavras de forma a produzir frases simples, se necessário recorrendo ao sistema pictrográfico.

Quando as crianças apresentam um diagnóstico clínico de PEA ligeiro e exibem capacidades comunicativas, será importante estimular a sua aplicação em contexto natural. Para tal será essencial:

  • Alargar o vocabulário da criança recorrendo a diferentes suportes visuais;
  • Promover o uso correto da frase com e sem suporte visual;
  • Estimular a capacidade da criança fazer perguntas, de responder de forma adequada ao que lhe foi pedido, bem como saber esperar pela sua vez para falar;